top of page

(DES)EDUCAR PARA (DES)OPRIMIR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Atualizado: 10 de fev. de 2023

O artigo (DES)EDUCAR PARA (DES)OPRIMIR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA foi escrito a 4 mãos pelas diretoras pedagógicas da Aldeia, Carolina Parrode e Cristina Moraes. Este artigo foi originalmente publicado na revista da UFG. Abaixo veja um resumo do que tratamos.



“Cultores, Cantares e Festejos Populares” é um projeto de Cultura Popular que acontece anualmente na Escola Aldeia e que envolve toda a comunidade. O tema trabalhado no ano de 2019 “Os avessos do avesso: Tropicália” propôs uma refinada experimentação da realidade na sua diversidade e complexidade.


A educação como prática da liberdade é uma tentativa de remontar, reconstruir e construir o dinamismo que faz existir o Brasil e os seus brasileiros; o estar na escola como lugar do êxtase, do prazer, do perigo e da beleza que é viver.


Através do tropicalismo e seus movimentos de ruptura, o objetivo foi demonstrar como o fazer da escola pode contribuir para a formação e transformação de ideias e ideais de brasilidade, desemparedar mentes e corações na descoberta do potencial libertador da educação, em sua forma mais poderosa: a vida.


Trata-se, pois, de uma forma de a existência ser entrelaçada pela historicidade dialético-dialógica humana tecida pelo tropicalismo, movimento de uma geração em

efervescência.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page